quarta-feira, 17 de junho de 2015

TECIDO NERVOSO - Trabalho Elaborado e Organizado por Vieira Miguel Manuel

ÍNDICE







 






O tecido nervoso é um conjunto de células do corpo humano, responsável por executar tarefas específicas em nosso organismo. Esta complexa estrutura é de fundamental importância para o bom funcionamento de nosso corpo, pois desempenha funções fundamentais, principalmente relacionadas a coordenação das actividades corporais.

O tecido nervoso é composto por dois tipos de células: neurónios e células da neuralgia.






O tecido nervoso tem como função de captar estímulos ambientais ou do próprio corpo, conduzir impulsos nervosos e interpretá-los, na coordenação das funções dos órgãos.

Este tecido forma os órgãos dos sistemas nervosos central, periférico e autónomo. Ele tem por função coordenar as actividades de diversos órgãos, receber informações do meio externo e responder aos estímulos recebidos. O tecido nervoso é constituído por células nervosas ou neurónios e células de apoio ou células da glia. As células nervosas ou neurónios que é uma célula altamente diferenciada, de ciclo vital longo, sem capacidade de divisão e de regeneração, têm prolongamentos ramificados, os dendritos, e um cilindro - eixo, o axônio, geralmente mais longos que os dendritos. Muitas vezes o axônio é protegido por um envoltório denominada bainha de mielina.



Ao longo da evolução dos metazoários, fez-se necessária a especialização de grupos celulares que se encarregassem da coordenação das diferentes funções do organismo, de modo a estabelecer uma harmonia necessária para o bom desenvolvimento do mesmo. Essa coordenação se desenvolveu graças a dois tecidos específicos, o endócrino e o nervoso. O primeiro exerce uma acção de longa duração, através dos harmónios. O tecido nervoso, através de suas terminações nervosas, pode enviar impulsos a todos os órgãos, realizando uma regulação mais imediata. Ele se forma a partir do folheto embrionário externo ou ectoderme.

O tecido nervoso, distribuído por todo o organismo, interliga-se, formando uma rede de comunicações, que constitui o sistema nervoso. Todos os sistemas orgânicos contêm elementos do sistema nervoso que detecta alterações quer no ambiente externo ou interno ou obtém respostas dos órgãos para estes ambientes.

O sistema nervoso apresenta subdivisões anatómicas, a saber: o sistema nervoso central (SNC), formado pelo encéfalo e medula espinhal, e o sistema nervoso periférico (SNP), composto pelos nervos, e gânglios nervosos (pequenos aglomerados de células nervosas).

Os principais componentes do tecido nervoso são os neurónios, as células geradoras do impulso nervoso, e os diferentes tipos de células da glia, que fornecem suporte para os neurónios e também actuam em diversas outras funções que serão descritas mais adiante.

Assim, no SNC podem ser identificadas duas porções distintas: a substância cinzenta, formada principalmente pelos corpos celulares dos neurónios e células da glia, contendo também prolongamentos de neurónios; e a substância branca, constituída somente por prolongamentos de neurónios e células da glia. O nome da substância branca se deve à presença de mielina, de coloração esbranquiçada, envolvendo os axônios.

Para as análises histológicas, a coloração do tecido nervoso com hematoxilina-eosina (HE) é inadequada, uma vez que evidencia poucos detalhes estruturais. Para este propósito, devemos utilizar uma variedade especial de colorações específicas, próprias ao tecido nervoso.



- Receber os estímulos externos e internos;

- Transformar os estímulos recebidos em impulsos nervosos;

- Passar estes impulsos nervosos para órgãos e tecidos responsáveis por executar as acções necessárias;

- Controlar de maneira directa e rápida as principais partes do corpo;

- Permite aos seres humanos a interacção com o meio ambiente e outros seres vivos.

https://1e1histologia.files.wordpress.com/2011/10/sem-tc3adsdasatulo.png


Também conhecidas como células nervosas, os neurónios são os responsáveis por receber os estímulos externos e internos e transformá-los em impulsos nervosos. Os neurónios também fazem a passagem destes impulsos para outros neurónios, glândulas e fibras musculares.

http://www.tecnologiasdeultimogrito.com/wp-content/uploads/2010/08/dendritos.gif

Os neurónios são compostos por três partes:

- Corpo celular: possui núcleo e outras organelas.

- Dendritos: prolongamentos celulares curtos e ramificados. São eles que recebem as informações de outros neurónios ou dos receptores sensoriais.

- Axônios: Fazem o transporte dos impulsos nervosos. Geralmente são finos e de formato longo e cilíndrico.



Também conhecida como célula neuroglial, desempenham várias funções importantes em nosso organismo. São estas células que colaboram para a manutenção de um ambiente químico propício para a produção dos impulsos químicos. Elas também desempenham papel fundamental na proteção do sistema nervoso central contra determinadas doenças.

Curiosidades

- Os vegetais não possuem tecido nervoso, pois este é exclusivo dos animais.

- A palavra neurónio deriva do grego “neuron”, que significa nervo.

- As sinapses são as áreas de conexão química entre neurónios, entre neurónios e fibras muscularia ou entre neurónios e células glandulares.



Todos os axônios das células nervosas apresentam-se envoltos por bainha, sendo a conjunto axônio e bainha, sendo o conjunto axônio e bainha envoltória denominada fibra nervosa.


O impulso nervoso é causado por um estimulo do neurónio, provocando modificações eléctricas é químicas que são transmitidas ao longo dos neurónios sempre no sentido dendrito-axônio. A membrana do axônio em repouso apresenta carga eléctrica positiva do lado interno. Os neurónios conectam-se entre si e aos órgãos através de um tipo especial de junção, denominada sinapse. O impulso nervoso proporciona, na região das sinapses, liberação de vesículas contendo mediadores químicos, que podem ser acetilcolina ou adrenalina.

Esses mediadores químicos caem na fenda sináptica, excitando a membrana do dentrito e dando origem à actividade eléctrica ou outro neurónio.

Os mediadores químicos que caem na fenda sináptica são degradados, logo em seguida, por ensinas específicas.

Transmissão de impulsos nervosos:

Sentido do impulso nervoso entre neurónios: dendrito axônio

Sinapse: região de encontro entre neurónios e entre neurónios e órgãos, onde ocorre a transmissão química de impulsos eléctricos.

Mediadores químicos na sinapse: acetilcolina ou adrenalina.


Uma grande população de células do tecido nervoso é constituída pelas células da neuróglia ou simplesmente células da glia. Estas células não têm as propriedades dos neurónios: não são estimuladas por estímulos eléctricos ou químicos e não transmitem estímulos ao longo de seus prolongamentos.

As células da glia exercem importantes funções na nutrição e trofismo dos neurônios, sustentação do tecido nervoso e uma população especial de células da glia age como macrófagos dentro do tecido nervoso.

As células da neuróglia estão presentes no sistema nervoso central. No sistema nervoso periférico há células equivalentes, que alguns autores incluem na classificação de células da neuróglia e outros consideram como uma categoria separada. Há várias populações de células da neuróglia no sistema nervoso central:

Astróglia - é constituída por células denominadas astrócitos. São encarregados de sustentação e nutrição dos neurónios. Há dois tipos principais, chamados astrócitos protoplasmáticos e astrócitos fibrosos. Os astrócitos protoplasmáticos residem principalmente na substância cinzenta do sistema nervoso central enquanto os astrócitos fibrosos estão presentes principalmente na substância branca.

Oligodendróglia - suas células, são os oligodendrócitos presentes na substância cinzenta e em muito maior quantidade na substância branca do sistema nervoso central. Sua função principal é envolver os axônios dos neurónios de maneira a isolá-los do micro ambiente do tecido nervoso.

Micróglia - é constituída por células que agem como macrófagos, participando, portanto, da defesa do tecido nervoso.

Estas células são de difícil observação por colorações rotineiras e por esta razão foram desenvolvidas várias técnicas para demonstrar estas células, que são baseadas em precipitação de metais sobre as mesmas.


http://sesi.webensino.com.br/sistema/webensino/aulas/repository_data/SESIeduca/ENS_MED/ENS_MED_F01_BIO/638_BIO_ENS_MED_01_09/imagens/ref/FIG_013.jpg







Como vimos, este trabalho é resultado de um estudo que exigiu, no decorrer do mesmo muita análise, síntese e reflexão. Uma das vantagens oferecidas e que considero a mais importante foi o conhecimento que tivemos a respeito das funções do Tecido Nervoso.

Foi um estudo realmente, muito interessante e instrutivo. Elaborado através de uma visão geral sobre as s funções que o Tecido Nervoso desempenha e a importância que tem para a vida do ser humano.










Livro: Neurociências - desvendando o sistema nervoso
Autor: Bear, Mark F.
Editora: Armet

Livro: Evolução do Cérebro - Sistema Nervoso, Psicologia e Psicopatologia Sob a Perspectiva Evolucionista
Autor: Dalgalarrondo, Paulo
Editora: Artmed

Livro: Anatomia: Texto e Atlas - Volume 3: Sistema Nervoso e Órgãos dos Sentidos
Autor: Frotscher, Michael, M.D.; Kahle, Werner
Editora: Artmed


Comente com o Facebook: