terça-feira, 19 de abril de 2016

ACUPUNTURA - Trabalho de Enfermagem

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO INOCÊNCIO NANGA (ISPIN)
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
LICENCIATURA EM ENFERMAGEM


                                            




TERAPÊUTICA





ACUPUNTURA























LUANDA
2016
INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO INOCÊNCIO NANGA (ISPIN)
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
LICENCIATURA EM ENFERMAGEM







TERAPÊUTICA I





ACUPUNTURA






MARIANA JÚLIA M. ZUNZA






Trabalho apresentado ao Curso de Enfermagem na disciplina de Terapêutica I como requisito parcial para obtenção de notas.

Orientador: Evaristo Baptista
 
 















LUANDA
2016
SUMÁRIO





 




A acupuntura é um método terapêutico com origem na Medicina Tradicional Chinesa, que consiste na estimulação de pontos cutâneos específicos através de agulhas. De acordo com a Medicina Tradicional Chinesa, esta estimulação tem a capacidade de regular o fluxo energético que é responsável pela fisiologia do corpo humano. E a sua prática é exercida há mais de 5.000 anos na China - idealizada dentro do contexto global da filosofia chinesa.

O diagnóstico energético e o tratamento baseiam-se nos conceitos do Yin e do Yang; dos Cinco Elementos; do Qi (Energia); do Xue (Sangue) e da Teoria dos Zang Fu (Órgãos/Vísceras).


O ser humano é considerado como um complexo de energia vital (Qi) e vários sistemas no organismo regulam o fluxo dessa energia através de muitos pontos de controlo. Os pontos de Acupuntura, estimulados correctamente, provocam a restauração do equilíbrio alterado no decorrer da enfermidade ou do desequilíbrio energético, fazendo com que o próprio corpo recupere seu equilíbrio orgânico funcional e promova a sua autocura.

A Acupuntura reúne conhecimentos técnicos, teóricos e empíricos e consiste, tradicionalmente, na estimulação de pontos de energia específicos no corpo mediante a inserção de agulhas.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera que a Acupuntura pode ser praticada por diferentes profissionais habilitados, formando uma equipa multidisciplinar, que a saúde é um direito humano fundamental e que os cuidados primários de saúde seriam compostos também por práticas não convencionais e métodos terapêuticos.






O objectivo central da Medicina Tradicional Chinesa (MTC) e, portanto, da acupuntura, é a idéia de equilíbrio, tanto no que se refere às funções orgânicas quanto à relação do corpo com o meio externo. Em outras palavras, a acupuntura preconiza que a saúde é dependente das funções psico-neuro-endócrinas, sob influência do código genético e de factores extrínsecos como nutrição, hábitos de vida, clima, qualidade do ambiente, entre outros (SCOGNAMILLO-SZABO & BECHARA, 2001; SCHOEN, 2006; MACIOCIA, 2007; XIE & PREAST, 2007).

Contrastando com o paradigma mecanicista de Descartes, a acupuntura possui uma concepção filosófica holística baseada no Taoísmo e considera que os sistemas orgânicos estão integrados de tal forma que suas propriedades não podem ser reduzidas às suas partes. O todo (do grego hólos) depende da harmonia funcional existente entre seus elementos, numa relação dialéctica entre particular e universal, morfologia e função, estímulo e controle, onde uma parte não pode ser compreendida a não ser quando relacionada com o todo. Pode-se fazer uma analogia, por exemplo, com a interdependência existente entre simpático e parassimpático no sistema nervoso autónomo, com as respostas no sistema imune ou citocinas pró e anti-inflamatórias na resposta a estímulos lesivos (SCOGNAMILLO-SZABO & BECHARA, 2001; SCHOEN, 2006; XIE & PREAST, 2007).

Enquanto a identificação precisa do agente e a compreensão dos mecanismos das enfermidades são essenciais para a prática médica científica, o exercício da acupuntura prioriza o enfoque nas respostas orgânicas individuais, produzindo uma abordagem particular para cada paciente. Em termos práticos, pode-se dizer que a medicina científica usa intervenções que minimizam ou bloqueiam a acção da bioquímica orgânica. A acupuntura, por sua vez, visa afectar os níveis de actividade funcional nos órgãos e sistemas. (KARST et al., 2002; KARST et al., 2003; SCOGNAMILLO-SZABÓ et al., 2004).

A filosofia da acupuntura e a lógica científica são derivadas de observações da natureza e dos organismos. Porém, a acupuntura se detém principalmente nas inter-relações dos factos observados, gerando um raciocínio dialéctico dinâmico e sintético. Por outro lado, o raciocínio científico é, via de regra, compartimentalizado, de forma que, para a ciência, as diversas áreas do conhecimento pouco têm em comum. Entretanto, para o Taoísmo biologia, política, física e religião são baseadas no mesmo princípio: Tao ou "O Grande Princípio", segundo o qual o universo é regido por uma única lei central que orienta todos os fenómenos.

As bases filosóficas da acupuntura estão contidas nas teorias gerais do Taoísmo como Yin e Yang e Cinco Movimentos ou Wu Xing. As particularidades do funcionamento orgânico também são analisadas através das teorias das Substâncias Vitais ou Fundamentais (Qi, Xue, Jing e Jin Ye), e dos Sistemas Internos (Zang Fu).


Segundo a MTC, a doença é resultado da interacção entre o agente causal e o indivíduo, resultando em desequilíbrio nos componentes Yin e Yang do organismo. Essa desarmonia determina o curso da doença e está relacionada à oposição dos dois factores citados: Energia Correta (Zheng Qi), factor intrínseco que traduz a resistência à doença, e Energia Perversa (Xie Qi), o factor patogénico propriamente dito.


Na MTC, como em qualquer sistema médico, a definição do diagnóstico é pré-requisito para a determinação do tratamento. O diagnóstico, na MTC, visa a compreensão de como o paciente se insere dentro do seu contexto de vida e como está interagindo com os factores que o cercam. Esta abordagem é a acupunturalicação prática da filosofia chinesa que vê o ser humano (microcosmo) em constante interacção com o mundo (macrocosmo). O padrão de resposta de cada indivíduo, em dado momento, é categorizado em síndromes. A partir desse diagnóstico, é definido o plano de tratamento (WEN, 1989; MACIOCIA, 2007; XIE &PREAST, 2007).


A escolha dos pontos de acupuntura é baseada na classificação do desequilíbrio acupunturaresentado. A estimulação de um determinado ponto possui indicações específicas que são expressas em seu nome chinês original. A estimulação simultânea de dois ou mais pontos de acupuntura pode ampliar suas indicações específicas. Tradicionalmente, cada ponto de acupuntura tem uma ou diversas acções, quando estimulado. Quando usado em combinação com outros pontos de acupuntura, os resultados são modificados. A definição do tratamento também deve se basear nas categorias nas quais os pontos de acupuntura são divididos:

i)             Efeitos locais,
ii)            Efeitos à distância e
iii)           Efeitos sistêmicos.


Tão relevante quanto à selecção dos pontos é a técnica de estímulo, cuja definição vai variar em função da condição a ser tratada. Existem inúmeras alternativas para o estímulo do ponto e, a cada dia, mais opções surgem em função da incorporação de novas tecnologias à acupuntura. Os métodos tradicionais persistem e se destacam como os mais utilizados (ERNST & WHITE, 1999; HIELM-BJORKMAN et al, 2001; SCOGNAMILLO-SZABÓ & BECHARA, 2001; JAEGER et al. 2007; SCHOEN, 2006; XIE & PREAST, 2007; COLBERT et al., 2008):

a)    Agulhamento: Existe uma grande variedade no tamanho das agulhas, bem como no procedimento de inserção e de manipulação dessas. O material mais utilizado é o aço inoxidável. Normalmente o agulhamento atravessa a derme atingindo o tecido subcutâneo, podendo alcançar músculos ou ossos. Agulhas intradérmicas são utilizadas principalmente em pontos de acupuntura no pavilhão auricular.

b)    Eletroacupuntura: Consiste na passagem de corrente eléctrica através da agulha. A escolha do formato da onda, frequência e intensidade da descarga vão definir o tipo de efeito atingido. É, provavelmente, depois do agulhamento simples, a técnica mais disseminada e melhor estudada de acupuntura.

c)    Implante: Trata-se de um procedimento cirúrgico-ambulatorial que objectiva atingir uma estimulação prolongada ou mesmo permanente dos pontos. Fragmentos especialmente preparados e confeccionados de diversos materiais podem ser utilizados como categute, aço inoxidável, platina e ouro.

d)    Injecção: Segundo a teoria da MTC, é capaz de manter o estímulo por período prolongado, além de potencializar o efeito da substância utilizada. Aquacupuntura, ozôniopuntura, fitopuntura, homeopuntura e hemopuntura são as formas mais comuns. Autores chineses afirmam que, em muitas situações, o uso de subdoses produz um efeito longo e similar à dose convencional, com a vantagem de causar menos efeitos colaterais (NIE et al., 2001; WANG et al., 2007).


Cuidados especiais devem ser tomados nas acupunturalicações das agulhas em pontos próximos aos órgãos vitais ou áreas muito sensíveis. Em função das características das agulhas usadas, dos locais particulares para acupunturalicação, da profundidade da penetração, das técnicas de manipulação utilizadas e das estimulações oferecidas, alguns acidentes podem ocorrer durante o tratamento.

Em muitas situações de acidente, danos podem ser evitados se as precauções adequadas forem tomadas. Se tais acidentes ocorrerem, o acupunturista deve saber lidar com essas situações eficientemente, evitando dano adicional. Um dano acidental num órgão importante requer intervenção médica ou mesmo cirúrgica.




Os pontos nesta região devem ser penetrados na direcção oblíqua ou horizontal, evitando lesões em órgãos vitais. Deve-se ter atenção na direcção e na profundidade da inserção das agulhas.


O pneumotórax traumático pode ocorrer em casos de penetração profunda da agulha em pontos do tórax, costas ou fossa supraclavicular. Durante a manipulação poderá ocorrer tosse, dor toráxica e dispnéia, especialmente se houver laceração grave do pulmão pela agulha. Os sintomas podem acupunturaarecer gradualmente depois de algumas horas acupunturaós o tratamento.


Sangramento, dor local, sensibilidade e rigidez dos músculos abdominais podem ocorrer quando há perfuração do fígado e baço. Quando o dano não for grave, o sangramento cessa espontaneamente, do contrário poderá ocorrer queda de pressão sanguínea e choque hipovolêmico.


Dor de cabeça, náuseas, vómitos, redução súbita da respiração e desorientação seguida por convulsões, paralisia ou coma podem ocorrer caso haja manipulação inadequada de pontos entre as vértebras cervicais ou ao lado da primeira vértebra superior, tais como VG15 e VG16. Acima da primeira vértebra lombar, entre outras vértebras, deve-se evitar a penetração profunda, pois pode ocorrer perfuração da medula espinhal, ocasionando paralisias ou fisgadas na extremidade ou no tronco abaixo do nível da perfuração.


Tomar cuidado com áreas de pouca circulação ou punção acidental de artérias, o que pode ocasionar sangramento.

Outros pontos que são potencialmente perigosos e exigem habilidade e experiência no seu uso:

B1 (Jingming) e E1 (Chengqi) – localizados próximo ao globo ocular;
CV22 (Tiantu) – à frente da traquéia;
E9 (Renying) – perto da artéria carótida;
BP11 (Jimen) e BP12 (Chongmen) – perto da artéria femural;
P9 (Taiyan) – na artéria radial.


As medidas de precaução têm como objectivo prevenir a disseminação de doenças, seja de um paciente para outro, seja do paciente para o profissional de saúde. São classificadas em:

- Medidas de precaução específica: precaução por área; precaução com perdigotos (protecção respiratória); precaução por contacto (quarto privativo: hospitais/ambulatórios pacientes infectados).

- Medidas de precaução padrão: O principal objectivo das medidas de precaução padrão é evitar a exposição do profissional de saúde a materiais com potencial de transmissão de HIV, HVB, HVC, entre outras patologias. Deve ser utilizada pelo profissional de saúde toda vez que for manipular o paciente, independentemente do diagnóstico de suspeita ou confirmação de doenças. As medidas de precaução padrão compreendem:



Tem como principal objectivo prevenir a transmissão cruzada de microrganismos responsáveis pelas infecções hospitalares, sendo uma prática de grande importância para prevenção de infecções no ambiente. Sua efectividade depende da realização correcta da técnica. É importante também manter a integridade da barreira cutânea.

Devem ser empregados recursos e medidas com o objectivo de incorporar a prática de higiene das mãos, tais como:

Dispor de torneiras que dispensem o contacto das mãos através do volante ou registo, quando do fechamento da água;

Dispensador de sabão líquido que evite contacto das mãos com o local de saída do produto;

Pacupunturael-toalha para secagem das mãos, não sendo indicado o uso colectivo de toalha de tecido única ou de rolo, bem como o secador de mãos.






Em suma, a acupuntura utiliza um raciocínio mágico, derivado do contexto histórico em que surgiu. Para sua prática clínica, há necessidade do conhecimento de suas teorias baseadas no Taoísmo. A acupuntura é indicada para diversas patologias, porém é principalmente utilizada para distúrbios neurológicos, musculares e cutâneos, onde acupuntura apresenta alto índice de recuperação.








AMTC de Beijing: Fundamentos Essenciais da Acupuntura Chinesa. São Paulo: Editora Ícone.

AMTC de Beijing: Tratado de Medicina Chinesa. São Paulo: Editora Roca, 1993.

ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE ESTUDOS EM CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR. Esterilização de Artigos em Unidades de Saúde. São Paulo, 1998

Auteroche B E NAVAILH P: O Diagnóstico da Medicina Chinesa. São Paulo: Organização Andrei Editora, 1986.

Breves R: Acupuntura Tradicional Chinesa. São Paulo: Robe Editorial, 2001.

YAMAMURA, Ysao. Acupuntura Tradicional: A Arte de inserir. 2ª ed. São Paulo: Roca, 2001.

Yin HH & Zhang BN: Teoria Básica da Medicina Tradicional Chinesa. São Paulo: Editora Atheneu, 1999.


Comente com o Facebook: