quinta-feira, 28 de abril de 2016

NATUROPATIA - Trabalho elaborado por VIEIRA MIGUEL MANUEL

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO INOCÊNCIO NANGA (ISPIN)
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
LICENCIATURA EM ENFERMAGEM


                                            








TERAPÊUTICA I





NATUROPATIA




















LUANDA
2016
INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO INOCÊNCIO NANGA (ISPIN)
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
LICENCIATURA EM ENFERMAGEM







TERAPÊUTICA I





NATUROPATIA






SUZANA DOMINGOS FUAFUA
   

Trabalho apresentado ao Curso de Enfermagem na disciplina de Terapêutica I como requisito parcial para obtenção de notas.

Orientador: Evaristo Baptista
 
 


















LUANDA
2016

SUMÁRIO





Naturopatia ou medicina naturopata, derivado de natu = natural e patia= doença, é um sistema de medicina baseado no poder de cura da natureza. Naturopatia é um sistema holístico, ou seja, os médicos naturopatas esforçam-se para encontrar a causa da doença pela compreensão do corpo, mente e espírito da pessoa. A maioria dos médicos naturopatas usa uma variedade de terapias e técnicas (como a nutrição, a mudança de comportamento, fitoterapia, homeopatia e acupuntura).




Na verdade, a Naturopatia, (é uma especialidade da Medicina Tradicional, que faz o enquadramento das terapêuticas não convencionais), tem como objectivo repor o estado de saúde no organismo através de produtos, técnicas e métodos naturais.

Há duas áreas de foco em naturopatia: uma é apoiar as habilidades de cura do corpo próprio, e o outro é capacitar as pessoas para fazer mudanças de estilo de vida necessárias para a melhor saúde possível. Enquanto os médicos naturopatas tratam através de sessões curtas da doença e condições crónicas sua ênfase é na prevenção da doença e educar pacientes.

De salientar que a naturopatia é uma das Terapêuticas Não Convencionais, enquadrada legalmente ao abrigo da Lei 45/2003 – Lei das Terapêuticas Não Convencionais e recomendada pela Organização Mundial de Saúde. Em Naturopatia, dá-se especial atenção à etiologia das patologias, não descartando, contudo, a sua sintomatologia. Tendo a sua base assente no conhecimento da Fisiologia, Bioquímica e Biologia humana, em Naturopatia dá-se igual importância aos conceitos de saúde orientais acerca do funcionamento orgânico. Proporcionando ao Naturopata uma visão da saúde extremamente vasta, complementar e sinérgica. Uma correcta observação do estado de saúde é essencial para uma correcta prescrição, daí a importância não só dos métodos de observação típicos da naturologia, mas também na preparação que um Naturopata Moderno tem, em interpretar os diversos exames clínicos


A forma moderna de naturopatia pode ser rastreada para o século 18-19 como sistema de cura natural. Tais sistemas incluem hidroterapia (tratamento de água), o qual era muito popular na Alemanha e na cura da natureza, desenvolvido na Áustria, com base na utilização de alimentos, ar, luz, água, e ervas no tratamento de doenças.

Benjamin Lust, um imigrante alemão, introduziu pela primeira vez naturopatia nos Estados Unidos em 1902, quando fundou a Escola Americana de Naturopatia. A escola enfatizou o uso de curas naturais, hábitos intestinais adequados e de higiene como ferramentas para a saúde.

Esta foi a primeira vez que os princípios de uma dieta saudável, como o aumento da ingestão de fibras e reduzindo gorduras saturadas. Em meados de 1920 a 1940, o uso da medicina naturopata diminuiu. Foi até 1960 que a naturopatia de estilo medicina holística tornou-se popular novamente. Hoje, naturopatas são licenciados prestadores de cuidados de saúde. Eles oferecem uma variedade de terapias naturais, incluindo vitaminas, homeopatia e suplementos minerais, Medicina Tradicional Chinesa, técnicas de relaxamento e remédios à base de plantas.


O naturopata é um generalista dos métodos naturais de saúde. Ele indica ao seu paciente as vias naturais para a obtenção da cura ou melhora e prevenção da doença. Ele trabalha com espírito de abertura em relação aos outros profissionais de saúde, mantendo sempre a sua independência. Ele pretende uma colaboração estreita com os Quiropráticos, os Especialistas Médicos e outros profissionais das diferentes disciplinas na área da saúde.

O Naturopata, em todas as situações, recorre aos agentes físicos e métodos naturopáticos, homeopáticos e energéticos; Com base nas filosofias ocidental e oriental, através dos quais diagnostica, trata e cuida dos pacientes, utilizando sistemas de práticas que se baseiam em tratamentos e cuidados de acção bio-psico-fisiológica e higiénicos, que tenham como objectivo reequilibrar as funções orgânicas e outras situações anormais existentes no organismo, proporcionando ao mesmo as condições indispensáveis à manutenção e recuperação do seu equilíbrio, no total respeito pelas Leis Naturais, que regulam as funções do corpo humano.

Para isso o naturopata utiliza todos os meios naturais e ecológicos de preferência e sempre que possível, Dietas individualizadas, segundo as bases da dietética, nutrição e bioquímica alimentar, naturopáticas, usando produtos alimentares e plantas medicinais e seus derivados (fitoterapia, gemoterapia e aromaterapia), de agricultura biológica; sempre que possível; psicologia, jejum, ar, oxigenoterapia (banhos de ar e ginástica respiratória), ginástica dos órgãos, água (hidroterapia) aplicada segundo os temperamentos, em uso externo e interno, luz solar (helioterapia), psicoterapia, electroterapia, mecanoterapia, correcções e manipulações naturopáticas e ainda todos os restantes meios naturais; Isentos de efeitos colaterais.


A Naturopatia é um sistema distinto de cuidados de saúde preliminares – uma arte, ciência, filosofia e prática de diagnóstico, tratamento e prevenção da doença. A naturopatia distingue-se pelos princípios que guiam e determinam a sua prática. Esses princípios estão baseados na observação objectiva da natureza da saúde e da doença, e são continuamente reexaminados à luz dos progressos científicos.

Os métodos utilizados estão de acordo com esses princípios e são escolhidos com base na individualidade do paciente. Os naturopatas são intervenientes de cuidados de saúde primários, cujas diversas técnicas incluem métodos científicos e empíricos, modernos e tradicionais.


Os naturopatas são profissionais de cuidados primários de saúde e especialistas que identificam as causas da doença e dão orientação no sentido de favorecer o reequilíbrio da saúde através de terapias naturais, individuais e efectivas que integram o poder de cura do corpo, da mente e do espírito.

Os naturopatas são os únicos profissionais de saúde que -pelo facto de reconhecerem que existem limites em todas as medicinas, mas que todas elas são necessárias – e reconhecendo os seus limites – são favoráveis aos diagnósticos e tratamentos que abrangem ambas as perspectivas das medicinas convencional e naturopática; estes integram investigação científica com o poder de cura da natureza.

O objectivo do naturopata é utilizar terapias que apoiam e estimulam os processos de cura naturais do corpo humano, levando a um elevado estado de bem-estar, originado pelo normal e natural equilíbrio das funções do organismo.

Como profissionais responsáveis e pioneiros em ciência baseada na medicina natural, os naturopatas defendem o desenvolvimento dos padrões profissionais, a responsabilidade, e a regulamentação e inclusão no Sistema Nacional de Saúde, bem como nos dos Estados Membros, de todas as Medicinas Não-Convencionais, conforme o sugeriu o Parlamento Europeu em 1997 e o Senhor Director Geral da OMS, DR. RALFDAN MALHER, na Conferência Internacional de ALMA-ATA, em 1978, para garantir e manter a segurança e a liberdade pública, de escolha nos cuidados de saúde. Além do mais, no interesse do paciente, nós apoiamos inclusão abrangente, colaboração e acesso equitativo no sistema de cuidados de saúde a todos os níveis.


A Naturopatia é definida primeiramente pelos seus princípios fundamentais. Os métodos e as modalidades são seleccionados e aplicados com base nesses princípios conjuntamente com as necessidades individuais de cada paciente. Os métodos de diagnóstico e terapêuticos são seleccionados com o avanço do conhecimento.


As práticas naturopáticas incluem as seguintes modalidades de diagnósticos e tratamento:

Diagnóstico:

Utilização de todos os métodos naturopáticos de diagnóstico: Funcionais, Temperamentais, iridológicos, exames físico, clínico, reflexológico, psicológico, laboratoriais, incluindo o hematológico, urina, ecográfico e excepcionalmente, outras técnicas pela imagem.

Tratamento:

Supressão das causas, relaxação, alimentação (dietética, nutrição e bioquímica alimentar, naturopáticas), com dietas e monodietas individualizadas, a cada caso e sempre que possível, Vegetariana e de Cultura Biológica, jejum higiénico e terapêutico; terapias de origem mineral e animal (homeopáticas), fitoterapia e aromaterapia, medidas de higiene de vida e de saúde pública, homeopatia, acupunctura, medicina chinesa, psicoterapia e aconselhamento, muito excepcionalmente, cirurgia menor (cuidar de pequenos golpes, extracção de pequenos corpos estranhos que não exijam o uso de anestesia), obstetrícia naturopática (partos naturais), terapias manipulativas naturopáticas, o uso de hidroterapia, calor, frio, ultra-sons, e exercícios terapêuticos e todos os outros meios naturopáticos, inofensivos para o organismo.


O Poder de Cura da Natureza

O poder de cura da natureza é a auto-organização inerente e o processo de cura dos organismos vivos que estabelecem, mantêm e restauram a saúde. A medicina naturopática reconhece estes processos de cura como sendo ordenados e inteligentes. É o papel dos naturopatas de apoiar, facilitar e aumentar esses processos pela identificação e eliminação dos obstáculos para a cura e a recuperação, e apoiando a criação de um ambiente interno e externo saudável.
Identificação e tratamento das causas

A doença não ocorre sem qualquer razão. As causas podem ter origem em várias áreas. As causas identificadas como podendo ter tido ou e tenham influência no estado do paciente, devem ser identificadas e eliminadas, para poder haver recuperação, parcial ou – quando tal é possível – completa. Os sintomas são, sempre, expressões das tentativas do corpo para se autodefender, se adaptar e recuperar, se curar a si próprio.


O naturopata procura tratar, começando por agir no sentido de eliminar as causas do desequilíbrio orgânico, que conduziram ao estado denominado doença, em vez de eliminar ou suprimir meramente os sintomas.

Tratar o paciente como um todo

A saúde e a doença resultam da influência e inter-acção, entre si, de um conjunto de factores, que podem ser físicos, mentais, emocionais, ambientais, genéticos, sociais e outros. Como a saúde em plenitude inclui igualmente saúde espiritual, o naturopata incentiva os indivíduos a prosseguirem o seu desenvolvimento espiritual.

A naturopatia reconhece o funcionamento harmonioso de todos os sistemas que constituem o indivíduo como sendo essencial à saúde. A natureza multifactorial da saúde e da doença requer uma aproximação personalizada e inteligente para o diagnóstico e tratamento. O naturopata trata os pacientes como um todo, tendo em conta todos esses factores.


As Escolas e Universidades de Medicina naturopática dão ênfase ao estudo da saúde bem como à doença. A prevenção da doença e o alcance da saúde em plenitude nos pacientes são os objectivos principais da medicina naturopática. Na prática, esses objectivos são atingidos através da educação e da promoção de modos de vida saudáveis. Os naturopatas avaliam os factores de risco, hereditariedade e susceptibilidade à doença e fazem intervenções apropriadas, conjuntamente com os seus pacientes para prevenir as doenças. A medicina naturopática afirma que ninguém pode ser saudável num ambiente não saudável.









A minha conclusão sobre este tema é bastante simples; posso dizer que a naturopatia é um conjunto de métodos naturais que visa equilibrar o corpo e prevenir doenças, tem o objectivo de proporcionar saúde e bem-estar. Portanto, é uma prática terapêutica que surgiu para prevenir doenças e, a partir daí, são trabalhadas e usadas técnicas, como acupuntura, aromaterapia, fitoterapia, floral de bach, auriculoterapia, entre outros. Em outras palavras, a naturopatia é um conjunto de várias outras formas de terapia, algumas delas já consideras em trabalhos científicos realizados e apresentados pelos nossos colegas aqui dentro desta sala. 





AMTC de Beijing: Tratado de Medicina Chinesa. São Paulo: Editora Roca, 1993.

Auteroche B E NAVAILH P: O Diagnóstico da Medicina Chinesa. São Paulo: Organização Andrei Editora, 1986.

Balbach, Alfons - As Frutas na Medicina Natural, Edição Vida Plena, São Paulo, 2004.

BARROS, Nelson Filice de e Nunes, Everardo Duarte "Complementary and Alternative Medicine in Brazil: one concept, different meanings." Cad. Saúde Pública, Out 2006, vol.22, no.10, p. 2023-2028.

BIANCHINI, Flávia; Possebon, Fabrício. Ayurveda: a ciência da vida.Caminhos, Goiânia, v. 12, n. 1, p. 8-21, jan./jun. 2014.

DAVID, J. Mayer - Acupuncture: An Evidence-Based Review of the Clinical Literature - Department of Anesthesiology, Medical College of Virginia, Virginia Commonwealth University, Richmond, Virginia, 23298-0337.

ERNEST, Edzard. Medicina complementar, uma avaliação objetiva. SP, Manole, 2001.

SILVA, P. Fitoterapia e Homeopatia: a via científica. Farmacia Distribuição. 97 ed. Lisboa: Hollyfar – Marcas e Comunicação, Lda 1999.







Comente com o Facebook: