quarta-feira, 27 de abril de 2016

SISTEMAS OPERACIONAIS - Elaborado por Vieira Miguel Manuel

UNIVERSIDADE METODISTA DE ANGOLA – UMA
FACULDADE DE DIREITO
LICENCIATURA EM DIREITO

                                            






INFORMÁTICA PARA JURISTAS





SISTEMAS OPERACIONAIS






















LUANDA
2016
UNIVERSIDADE METODISTA DE ANGOLA – UMA
FACULDADE DE DIREITO
LICENCIATURA EM DIREITO







INFORMÁTICA PARA JURISTAS





SISTEMAS OPERACIONAIS
- PAINEL DE CONTROLO


CONCEIÇÃO GOMES


Período: Manhã
Turma: C
Ano:





Trabalho a ser apresentado ao curso de  Direito na disciplina de Informática como requisito parcial para obtenção de notas.

Orientador: Rui Domingues  
 
 














LUANDA
2016
SUMÁRIO





 




Programas computacionais (ou software) constituem o elo entre o aparato electrónico (ou hardware) e o ser humano. Tal elo se faz necessário dado a discrepância entre o tipo de informação manipulada pelo homem e pela máquina. A máquina opera com cadeias de códigos binários enquanto o homem opera com estruturas mais abstractas como conjuntos, arquivos, algoritmos, etc.

Programas computacionais podem ser classificados em dois grandes grupos:

·         Software de sistema, que manipulam a operação do computador;
·         Programas aplicativos, que resolvem problemas para o usuário.

O mais importante dos softwares de sistema é o sistema operacional, que controla todos os recursos do computador e proporciona a base de sustentação para a execução de programas aplicativos e este será o foco do presente trabalho, mostrar o que realmente é um Sistema Operacional.









A maioria de usuários de computador têm alguma experiência com sistemas operacionais, mas é difícil definir precisamente o que é um sistema operacional. Parte do problema decorre do fato do sistema operacional realizar duas funções básicas que, dependendo do ponto de vista abordado, uma se destaca sobre a outra. Estas funções são descritas a seguir.


A arquitectura[1] da maioria dos computadores no nível da linguagem de máquina é primitiva e difícil de programar, especificamente para operações de entrada e saída. É preferível para um programador trabalhar com abstracções de mais alto nível onde detalhes de implementação das abstracções não são visíveis. No caso de discos, por exemplo, uma abstracção típica é que estes armazenam uma colecção de arquivos identificados por nomes simbólicos.

O programa que esconde os detalhes de implementação das abstracções é o sistema operacional. A abstracção apresentada ao usuário pelo sistema operacional é simples e mais fácil de usar que o hardware original.

Nesta visão, a função do sistema operacional é apresentada ao usuário como uma máquina estendida ou máquina virtual que é mais fácil de programar que o hardware que a suporta.


Um computador moderno é composto de vários subsistemas tais como processadores, memorias, discos, terminais, fitas magnéticas, interfaces de rede, impressoras, e outros dispositivos de Entrada e Saída (E/S). Neste ponto de vista, o sistema operacional tem a função de gerenciar de forma adequada estes recursos de sorte que as tarefas impostas pelos usuários sejam atendidas da forma mais rápida e confiável possível. Um exemplo típico é o compartilhamento da unidade central de processamento (CPU) entre as várias tarefas (programas) em sistemas multiprogramados. O sistema operacional é o responsável pela distribuição de forma optimizada da CPU entre as tarefas em execução.



Um conceito fundamental em sistemas operacionais é o de processo ou tarefa. Um processo (às vezes chamado de processo sequencial) é basicamente um programa em execução, sendo uma entidade activa que compete por recursos (principalmente CPU) e interage com outros processos. Em um instante qualquer, um processo está em um determinado estado. Estes estados podem ser:

·         Executando (usando a CPU para executar as instruções do programa);
·         Bloqueado (aguardando recursos, que não CPU, indisponíveis no momento);
·         Activo (aguardando apenas CPU para executar).

Um processo em execução passa por uma sequência de estados ordenados no tempo. Um processo possui duas importantes propriedades:

·         O resultado da execução de um processo independente da velocidade com que é executado;
·         Se um processo for executado novamente com os mesmos dados, ele passará precisamente pela mesma sequência de instruções e fornecerá o mesmo resultado.

Estas propriedades enfatizam a natureza sequencial e determinística de um processo. O processo sequencial é definido pelo resultado de suas instruções, não pela velocidade com que as instruções são executadas.


Como já mencionado, um programa em execução é chamado de processo ou tarefa. Um sistema operacional multitarefa se distingue pela sua habilidade de suportar a execução concorrente de processos sobre um processador único, sem necessariamente prover elaborada forma de gerenciamento de recursos (CPU, memória, etc.).

Sistemas operacionais multiusuários permitem acessos simultâneos ao computador através de dois ou mais terminais de entrada. Embora frequentemente associada com multiprogramação, multitarefa não implica necessariamente em uma operação multiusuário. Operação multiprocessos sem suporte de multiusuários pode ser encontrada em sistemas operacionais de alguns computadores pessoais (por exemplo, Windows'98) avançados e em sistemas de tempo real.


Multiprogramação é um conceito mais geral que multitarefa e denota um sistema operacional que provê gerenciamento da totalidade de recursos tais como CPU, memória, sistema de arquivos, em adição ao suporte da execução concorrente dos processos.

Em uma máquina podemos ter o conjunto de processos sendo executados de forma serial ou de forma concorrente, ou seja, os recursos presentes na máquina podem ser alocados a um único programa até a conclusão de sua execução ou esses recursos podem ser alocados de modo dinâmico entre um número de programas activos de acordo com o nível de prioridade ou o estágio de execução de cada um dos programas.

No caso de um computador no qual o sistema operacional utilizado permite apenas a monoprogramação, os programas serão executados instrução-a-instrução, até que seu processamento seja concluído. Durante a sua execução, o programa passará por diversas fases, alterando momentos em que se encontra executando ou bloqueado aguardando, por exemplo, a conclusão de uma operação de entrada/saída de dados (normalmente lenta, se comparada à velocidade de execução das instruções por parte do processador).

Através do uso da multiprogramação é possível reduzir os períodos de inactividade da CPU e consequentemente aumentar a eficiência do uso do sistema como um todo. O termo multiprogramação denota um sistema operacional o qual em adição ao suporte de múltiplos processos concorrentes, permite que instruções e dados de dois ou mais processos disjuntos estejam residentes na memória principal simultaneamente.

O nível de multiprogramação presente em um sistema pode ser classificado como integral ou serial. A multiprogramação é denominada integral caso mais de um processo possa se encontrar em execução em um dado instante, enquanto no caso da serial apenas um processo se encontra em execução a cada instante, sendo a CPU alocada aos processos de forma intercalada ao longo do tempo. Uma vez que a maioria dos computadores apresenta apenas uma única CPU, a multiprogramação serial é encontrada com mais frequência.


Embora a maioria dos computadores disponha de uma única CPU que executa instruções uma a uma, certos projectos mais avançados incrementaram a velocidade efectiva de computação permitindo que várias instruções sejam executadas ao mesmo tempo. Um computador com múltiplos processadores que compartilhem uma memória principal comum é chamado um multiprocessador. O sistema que suporta tal configuração é um sistema que suporta o multiprocessamento.


O interpretador de comando é um processo que perfaz a interface do usuário com o sistema operacional. Este processo lê o teclado a espera de comandos, interpreta-os e passa seus parâmetros ao sistema operacional. Serviços como login/logout, manipulação de arquivos, execução de programas, etc., são solicitados através do interpretador de comandos.


Assim como o interpretador de comandos é a interface usuário/sistema operacional, as chamadas do sistema constituem a interface programas aplicativos/sistema operacional. As chamadas do sistema são funções que podem ser ligadas com os aplicativos provendo serviços como: leitura do relógio interno, operações de entrada/saída, comunicação inter-processos, etc.


A seguir, vamos conhecer três exemplos das principais de sistemas operacionais, algumas características, juntamente com suas vantagens e desvantagens.

Com o passar dos anos, foram se desenvolvendo novos e sofisticados sistemas operacionais, objectivando, cada vez mais, plasticidade e agilidade na execução de hardwares e funcionamento dos softwares no PC. Responsável pelo controle do funcionamento do computador, o sistema operacional varia de acordo com o tipo de funções de que é provido e para que finalidade o computador será usado. A utilização mais eficiente busca um maior retorno no investimento feito no hardware, significando mais trabalho obtido do mesmo hardware. Uma utilização mais conveniente vai diminuir o tempo necessário para a construção e utilização dos programas.


O Macintosh Operating System (Mac OS) é o sistema operacional padrão para os computadores Macintosh produzidos pela Apple. Com sua primeira versão lançada em 1984, o sistema Mac OS hoje está na sua décima versão, e com o lançamento do Mac OS X, a última lançada pela empresa, tornou-se um marco ao ser remodelado como um todo, inclusive o núcleo que passou a ser baseado no do Unix BSD, que consiste em um sistema operativo e multitarefa.

Foi o primeiro sistema gráfico utilizado amplamente em computadores para representar os itens com ícones, como programas, pastas e documentos. Também foi pioneiro na disseminação do conceito de Desktop, com uma Área de Trabalho com ícones de documentos, pastas e uma lixeira, em analogia ao ambiente de escritório.

Vantagens:

Design bastante optimizado, no qual os usuários podem achar qualquer coisa em sua máquina com o aplicativo Finder; Custo de manutenção baixo ao longo do tempo; Os sistemas Mac têm menos problemas com vírus e spyware; Proporciona total liberdade de personalização do ambiente operacional; No Finder, você pode determinar um estilo de visualização (ícones, botões ou lista) para cada uma das janelas, ou um estilo geral para todas.

Desvantagens:

Os computadores com o Mac são mais caros do que os com Windows, por exemplo; Não há uma vasta quantidade de programas designados a este sistema específico.


Lançado em 1993 para permitir que os usuários pudessem contar com uma interface gráfica para operar o PC, o Windows, também de domínio da Microsoft, evoluiu muito nestes anos. Foram inúmeras versões criadas e vendidas, tendo a verão XP que permaneceu por muitos anos e que ainda está instalada em muitos computadores.

Em sua versão actual, Windows 8.1, possui relativos melhoramentos e mudanças de estilo, ainda mais no que tange ao seu layout, que foi totalmente reformulado em comparação com suas versões anteriores. As máquinas que rodam Windows têm a vantagem de serem compatíveis com a grande maioria dos programas comerciais e jogos, mas também possuem mais riscos de segurança, motivo pelo qual devem estar sempre sob a protecção de programas antivírus.

Vantagens:

Fácil aprendizagem de uso, pois possui uma interface simples; Permite a actualização automática sempre que algo tenha sido alterado na versão actual do sistema operacional, isto é, quando a Microsoft detecta um problema no programa, seus engenheiros preparam uma correcção deste e disponibiliza esta correcção; Possui uma infinidade de programas disponíveis para sua plataforma. Painel de controlo simples, com recursos visíveis e práticos.

Desvantagens:

Grande alvo de vírus se não fizer uso de um bom antivírus. Cada nova versão que é lançada do Windows requer uma máquina mais potente. Pelo fato de ser um dos sistemas mais utilizado, deixa a desejar pela facilidade de adquirir códigos maliciosos para a máquina.


Linux é o termo utilizado para os sistemas operacionais que utilizam o núcleo Linux. Desenvolvido pelo programador finlandês Linus Torvalds, que se inspirou no antigo sistema Minix. Criado por entusiastas e agora com colaboração de grandes empresas como IBM, Google, Oracle, entre outros, este sistema operacional é conhecido por ser robusto e estável, caindo no gosto de boa parte das pessoas, incluindo empresa.

As distribuições do Linux começaram a receber uma popularidade limitada desde a segunda metade dos anos 90, como uma alternativa livre para os sistemas operacionais Microsoft Windows e Mac OS, principalmente por parte de pessoas acostumadas com o Unix na escola e no trabalho. O sistema tornou-se popular no mercado de Desktops e servidores, principalmente para a Web e servidores de bancos de dados.

No entanto, hoje, muitas pessoas se perguntam: “Por que o Linux é gratuito?” – O fato é que Linus Torvalds, quando desenvolveu o sistema, não tinha intenção de comercializá-lo, e sim criá-lo para seu uso pessoal, para atender suas necessidades. Posteriormente ele coordenou os esforços colectivos de um grupo para a melhoria do sistema que criou. Actualmente, milhares de pessoas contribuem gratuitamente com o desenvolvimento do Linux, simplesmente pelo prazer de fazer um sistema operacional melhor.

Vantagens:

Qualquer instalação ou alteração do sistema no Linux requer a autorização do “usuário root”, uma espécie de usuários especial do sistema; isto dificulta que um vírus ou programa malicioso seja instalado em sua máquina, a não ser que seja autorizado com nome de usuário e senha; Outra grande vantagem é o custo, pois é um software livre, ou seja, sua utilização não tem custos financeiros e você não paga nada para usá-lo; Devido a sua estabilidade e robustez, o Linux dá maior segurança às redes, pois possui compatibilidade com padrões estabelecidos há mais de duas décadas; Possui diversas opções de interfaces gráficas, com centenas de aplicativos disponíveis para sua plataforma.

Desvantagens:

Incompatibilidade com equipamentos, ou seja, muitos softwares que permitem o funcionamento de certos equipamentos, como os de impressora, por exemplo, é feito exclusivamente para Windows, o que pode dificultar muito o uso deles no Linux; Comparativamente com o Windows, os usuários demoram a se acostumar com o este sistema diferente, isso faz com que muitas empresas pensem duas vezes antes de implantá-lo, pois terão custos com treinamento de pessoal; A hospedagem Linux não suporta uma grande quantidade de hardwares; a maioria dos fornecedores escrevem drivers que funcionam para sistema operacional Windows, ao invés de Linux, por causa do uso comum do sistema operacional Windows. Devido a esta razão, o Linux hosting oferece limitadas opções de hardware.


O Painel de Controlo ou ícone de controlo é uma ferramenta de sistema do Microsoft Windows, na qual consiste em personalizar as configurações do computador.






Com base no texto apresentado acima, cheguei a conclusão que, de forma singular, o Sistema Operativa é o Principal software instalado no computador e é responsável pala interacção entre o hardware e os softwares, também responsável pela manipulação de arquivos, sendo as suas principais operações de arquivo o armazenamento, a criação, a copia, a remoção e a atribuição.

O sistema operacional e uma camada de software que opera entre o hardware e os programas aplicativos voltados ao usuário final. O sistema operacional e uma estrutura de software ampla, muitas vezes complexa, que incorpora aspectos de baixo nível (como drivers de dispositivos e gerência de memoria física) e de alto nível (como programas utilitários e a própria interface gráfica).







ANDREW, Tanenbaum. "Modern Operating Systems". Massachusetts Addison-Wesley, 1984. ISBN 0-13-595752-4.

MAURICE J. Bach. "The Design of The UNIX Operating System". Prentice Hall Software Series, Englewood Cli_s, New Jersey 07632, 1990. ISBN 0-13-201799-7.

URESH, Vahalia. "UNIX Internals: The New Frontiers". Prentice Hall, Upper Saddle River, New Jersey 07458, 1996. ISBN 0-13-101908-2.






[1] Conjunto de instruções, organização de memória, entrada/saída (E/S), estrutura de barramento, etc.

Comente com o Facebook: